Finanças pessoais e empresariais: entenda por que você deve separar! - Saffi

Não há dúvidas do quanto é difícil administrar uma empresa nos dias de hoje. Ter que lidar com burocracias, contas e despesas e ainda conseguir separar um tempo para curtir os amigos e a família é uma tarefa que poucos conseguem. No entanto, o maior problema disso tudo é quando o empresário começa a ter dificuldade de separar os ambientes, o que, na maioria das vezes, traz diversas consequências para as suas finanças pessoais e empresariais.

Saber separar as finanças pessoais e empresariais é algo crucial para o sucesso de um negócio. Afinal, se for para gastar todo o lucro da empresa com coisas particulares, como o profissional vai ter a chance de investir em estratégias de marketing, funcionários mais qualificados, produtos melhores, entre outras coisas que contribuiriam para o crescimento do empreendimento? Impossível, não é mesmo?

Sendo assim, para que o negócio consiga se elevar e, consequentemente, melhorar o seu faturamento, é preciso fazer com cuidado a administração da parte financeira, além de entender que as finanças empresariais não devem estar disponíveis para as necessidades pessoais.

Parece algo difícil, não é mesmo? Mas se acalme, caro leitor! A seguir você vai encontrar algumas dicas para ajudá-lo nessa missão. Confira!

Separe as contas bancárias

Uma das principais dicas para parar de usar o dinheiro destinado à empresa na vida pessoal é separar as contas bancárias logo no início. Independentemente do porte da empresa, essa atitude pode lhe salvar de muita dor de cabeça no momento de fazer o relatório financeiro, para saber quanto dinheiro entrou e saiu do caixa.

Vale destacar que ter contas com diferentes destinações também pode ser muito útil no momento em que você precisar pedir algum tipo de empréstimo, já que existem linhas de crédito destinadas especificamente para empresas.

Estude administração, finanças e gestão

Se tem uma característica essencial de um empreendedor de sucesso é a vontade de aprender! Ele deve sempre buscar novos conhecimentos sobre diversas áreas para se tornar um profissional completo e preparado para o mercado.

Logo, por que não se aprofundar, de forma prévia, nas áreas de administração, finanças e gestão, a fim de aprender a elaborar um bom planejamento financeiro e abandonar aquela estratégia falha de “achismo”?

Tendo esses conhecimentos, dificilmente você vai cometer o erro de não saber diferenciar suas finanças pessoais e empresariais novamente.

Faça o controle do fluxo de caixa

Entenda que a falta de controle financeiro é um dos principais fatores que resultam na quebra de pequenas empresas, portanto, o fluxo de caixa deve ser levado com extrema importância e cuidado.

Empresas precisam ser sustentáveis para permanecer de portas abertas, por isso é necessário que tenham um fluxo de caixa confiável. Esse documento nada mais é do que a ferramenta que controla toda entrada e saída de capital ou recursos de uma empresa e seu controle deve ser feito diariamente.

A conta não é complexa: basta calcular o valor das entradas, menos os valores de saída e, somando ao saldo inicial, temos o saldo final do dia, que deve bater com o capital disponível nas contas da empresa.

Entenda que é recomendado, dentro do possível, evitar o cálculo manual do fluxo de caixa, assim como o uso de um excesso de planilhas do Excel, pois essas práticas vão gerar complicações e comprometer os seus fechamentos.

Existem diversas ferramentas gratuitas disponíveis na internet para ajudá-lo com a tarefa, como o SIScontrole ou o Hábil Empresarial. Além dessas, também existe a opção de investir em softwares de gestão mais completos.

O importante é não fazer de forma manual e pesquisar bastante, comparando preços e avaliando as soluções de acordo com as suas necessidades.

Conte com a ajuda de um profissional

Para facilitar ainda mais a gestão das finanças, você também pode procurar a ajuda profissional de um contador que o oriente e realize as tarefas mais complexas para você. Além de fazer relatórios completos sobre as finanças da empresa, ele também vai mostrar quais são as melhores estratégias financeiras para o crescimento do negócio, facilitando o seu trabalho.

Vale ressaltar que, mesmo tendo um custo alto, a contratação de um contador experiente sempre é um investimento bem-vindo — principalmente para pequenas e médias empresas que, normalmente, não possuem um setor próprio de contabilidade para lidar com o imposto de renda e outras questões referentes à tributação.

Tenha em mente que se envolver com questões de contabilidade sem o devido conhecimento do assunto pode causar sérios problemas legais com o seu negócio. Dessa forma, é extremamente recomendado que você tenha o auxílio de um especialista.

Estabeleça seu pagamento

Um erro cometido por muitos profissionais é não determinar um “salário” mensal, ou seja, um limite para retirar dinheiro da empresa para transferir para a sua conta pessoal.

Com o passar do tempo, isso pode levar o negócio à falência, já que, caso seja feito sem cautela, você pode retirar um valor muito próximo do lucro geral do mês — o qual pode ser importante para pagar alguma despesa imprevista do estabelecimento.

Sendo assim, não deixe de estabelecer um pró-labore que, ao mesmo tempo que seja baseado no lucro, também esteja dentro da realidade do seu negócio.

Utilize softwares de gestão

Por que não utilizar a tecnologia como uma aliada nesse momento? Softwares de gestão podem ser muito úteis para separar as suas finanças pessoais e empresariais, principalmente por oferecerem um sistema de administração seguro e muito bem estudado.

Além do programa ser bem mais preciso do que uma pessoa fazendo os controles manualmente, também permite que você realoque recursos de forma fácil, no momento em que tiver necessidade.

Quer fazer pequenos investimentos mensais no seu empreendimento? Simples! Basta programar o software, da forma adequada, para que ele flexibilize essa ação e invista seu dinheiro no lugar correto!

Aplicando essas dicas para melhorar a administração dos recursos do seu empreendimento e separar, de uma vez por todas, as suas finanças pessoais e empresariais, com certeza diversos benefícios virão para o seu negócio. Reflita por um momento se você faz uma boa gestão financeira entre sua vida pessoal e profissional, porque isso poderá ser o motivo do sucesso ou do fracasso da sua empresa no longo prazo.

Gostou de entender por que você deve separar suas finanças? Quer continuar acompanhando nossos conteúdos? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *